Probióticos para crianças: descubra se faz bem ou mal

Não é de hoje que se fala em alimentos que são mais que alimentos. Chamados de alimentos funcionais, eles garantem, além da nutrição básica, a promoção da saúde. Diante de tanto avanço, cada vez mais se fala do uso também de probióticos para crianças. Tá estranhando o termo? Tenho certeza que se eu colocar as marcas aqui, você já vai saber do que estou falando. São produtos como Yakult, Chamyto, Actívia, Actimel, Lacto B, Culturelle, dentre outros.

Os probióticos fazem parte de um dos grupos dos alimentos funcionais, eles são microrganismos vivos que, quando ingeridos em quantidades adequadas (a dose é muito importante), são capazes de trazer benefícios à nossa saúde. Já existem diversos benefícios descritos em estudo científicos, sendo um dos principais focos, a melhora da resposta do sistema imunológico, resultando em um aumento da nossa resistência contra microorganismos agressores – que, sendo empregados desde a infância teria papel importante em um crescer mais saudável.

Simplificando: Muitas bactérias já vivem dentro do nosso sistema gastrointestinal (no as crianças também), algumas dessas bactérias são consideradas boas, ajudando a gente a se manter saudável. Essas bactérias estão lá desde o nascimento, quando o trato gastrointestinal do bebê passou a “hospedá-las”, e assim temos bactérias boas, outras ruins. As boas estando em maior número e sendo fortes, conseguem aniquilar as ruins.

Se você amamenta ou amamentou, ajudou ainda mais o seu bebê a acumular bactérias boas, porque o colostro é rico em bactérias lácticas e o leite materno contém substâncias conhecidas como prebióticos que promovem o crescimento de uma flora intestinal saudável. Com o desmame e a introdução alimentar, haverá uma mudança normal da flora intestinal, e isso vai acontecer até certo ponto para depois se tornar a mesma para o resto da vida.

Seria bom se nenhum fator pudesse nos atingir a ponto de causar desequilíbrio dessa sistema. Alimentos, medicamentos (antibióticos) e diversos fatores externos podem interferir, e muito, causando principalmente problemas gastrointestinais. Não deve ser novidade para você que quando seu filho fez uso de antibiótico teve diarréia. Cerca de 20 a 30% das crianças que fazem uso de antibiótoco tendem a desenvolver diarreia.

Quando crianças devem consumir Probióticos?

Os probioticos para crianças devem ser utilizados nos seguintes casos:

  • Cólica – Um estudo publicado na revista Pediatrics, 2007, descobriu que bebês com cólica que tomaram Lactobacillus reuteri Protectis tiveram melhora do quadro com uso contínuo por 1 semana. O resultado do uso de probióticos foi comparado com os resultados de bebês que fizeram uso de simeticona.
  • Diarreia –  Os probióticos não curam a diarreia, mas conseguem reduzir o número de evacuações e minimizar os sintomas. O Lactobacillus mostraram ser seguro e eficazes no tratamento da diarreia infecciosa em crianças, de acordo com um estudo na revista Pediatrics.
  • Problemas intestinais – Uma nova pesquisa na Itália descobriu que bebês constipados que receberam suplementarão de Lactobacillus por 2 semanas tiveram melhora considerável do quadro do que aqueles que receberam um placebo.
  • Eczema – Majamaa & Isolauri avaliaram crianças com eczema atópico e alergia ao leite de vaca e mostraram efeito benéfico do uso de L. rhamnosus GG31.
  • Alergia respiratória – Dois estudos importantes avaliaram os efeitos da administração de lacotobacilos a pacientes alérgicos Um dos estudos avaliou a administração de Lactobacillus acidophilus em adultos com asma moderada e encontrou redução no número de eosinófilos e aumento de interferon-g, porém sem alterações nos parâmetros clínicos33. Outro estudo avaliou adolescentes com alergia ao pólen e utilizou Lactobacillus rhamnosus GG sem detectar efeitos benéficos.

 

Outros dados:

  1. Bebês e crianças com diarreia por gastroenterite vital aguda que ingeriram alimentos probióticos – principalmente iogurte – tiveram uma menor duração da diarreia por cerca de um dia.
  2. Outros estudos mostraram que os probióticos foram modestamente eficazes na prevenção de diarreia associada a antibióticos em crianças saudáveis ​​quando comparados com um placebo. Mas não chega a ser um valor expressivo que evidencie que os probióticos possam tratar esse tipo de diarreia.
  3. As fórmulas para lactentes suplementadas com probióticos não parecem para causar danos em recém-nascidos saudáveis​​.
  4. Bebês de mães que receberam suplementação com Lactobacillus GG diariamente nos últimos meses de gravidez e durante o período de lactação tiveram uma redução bem expressiva de casos de dermatite atópica, mesmo após o crescimento de seus filhos (aos dois e quatro anos de idade).

Probióticos são considerados seguros para crianças saudáveis. E embora mais pesquisas sejam necessárias antes que os médicos possam começar a prescrição de probióticos para doenças específicas da infância, certamente vale a pena discutir a ideia com o seu pediatra.

Como saber quais os probióticos nos alimentos?

Os dois tipos/categorias mais comuns dessas bactérias benéficas que conhecemos são os Lactobacillus (56 espécies) e as Bifidobactérias (29 espécies). Já existe nos mercados uma grande quantidade de variações (que nos chamamos de cepas) de cada um desses grupos de bactérias (Lactobacillus ).

As melhores fontes de probióticos ​​são os alimentos lácteos: como iogurte, kefir e queijos curados como o gouda (não processado). Também é possível encontrá-los em cápsulas ou em pós para ser adicionado a bebida.

Dica: Alguns estudos mostram que as culturas vivas no iogurte podem ajudar as crianças com intolerância à lactose.

Sobre o uso de probióticos para crianças

Seja qual for o benefício que você quer obter com a ingestão dos probióticos, é importante saber que os efeitos cessam assim que você deixa de consumi-los e a flora intestinal volta ao normal.

A indicação de consumo de probióticos para crianças se faz quando a microbiota intestinal do lactente está em formação (18 e 24 meses de idade), pois nesta fase a microbiota é menos complexa e aceita influência de fatores nutricionais.  Ainda não foi estabelecida uma recomendação de ingestão para esse público . Muito ainda precisa se estudar para garantir que todos os benefícios atribuídos aos probióticos se consolide e se torne uma recomendação nutricional nos casos de alterações do sistema digestivo, prevenindo diarreia ou aumentando a imunidade geral em crianças.

Não se esqueça de consultar também um médico para descobrir e desfrutar dos benefícios dos probióticos para crianças.

Leave a Reply