FOS Prebiótico: o que é, como age e onde encontrá-lo?

FOS Prebiótico é um exemplo de fibra não digerível pelo estômago que cumpre o papel de alimento dos probióticos, trazendo vários benefícios à saúde. Vem comigo descobrir como isso funciona!

FOS é a sigla de fruto-oligossacarídeo que, juntamente com a inulina e os galacto-oleossacarídeos, formam o time mais comum dos prebióticos – elementos geralmente acrescentados aos produtos alimentícios através de processos industriais.

Mas o FOS Prebiótico pode ser encontrado facilmente em alimentos de origem vegetal ou consumido em forma de suplementos. No primeiro caso, ele é encontrado na feira ou supermercado em itens como: banana, tomate, cebola, alho, cevada, trigo, mel e aveia.

Nas prateleiras de lojas de suplementos (físicas ou virtuais), há inúmeras opções de FOS Prebiótico, vendidas com indicação de suplemento funcional para quem busca a saúde intestinal e todas as consequências que isso traz.

Prebióticos como FOS também são comercializados com a intenção de melhorar o perfil metabólico. Os fruto-oligossacarídeos não são metabolizados pelo organismo e não contêm calorias.

Seus benefícios incluem especialmente as funções intestinais e, ainda, diminuição da absorção de glicose e gorduras (triglicerídeos e colesterol), além de controle de glicemia e redução de pressão arterial.

Os efeitos metabólicos desencadeados pelos fruto-oligossacarídeos são particularmente importantes para hipertensos, diabéticos, obesos, indivíduos com hipercolesterolemia e hipertrigliceridemia.

As características da fibra FOS Prebiótico fazem com que tais benefícios sejam obtidos em nosso organismo, uma vez que elas estimulam de modo seletivo o crescimento de probióticos como Acidophilus e Bifidus.

No intestino, os fruto-oligossacarídeos são substratos para boa parte das bifidobactérias, sendo estas capazes de fermentar as fibras FOS.

O resultado dessa fermentação é a redução do pH do intestino grosso. O que, por sua vez, torna o ambiente ruim para bactérias maléficas. Outro efeito é o alívio na obstipação e no desconforto intestinal.

Quando a flora intestinal está restabelecida, é bom destacar também a melhora na produção de vitaminas, principalmente as do Complexo B e a K.

FOS Prebiótico: mais dicas de consumo

Existem hoje diversas opções de suplementos probióticos e prebióticos – em sachês, cápsulas e outros formatos. Alguns produtos são fabricados justamente a partir da raiz de chicória, uma das principais fontes naturais de fruto-oligossacarídeos.

A facilidade de consumo é uma das vantagens, pois basta colocar o pó, por exemplo, em um copo com água ou na bebida de sua preferência.

Em geral, o modo de preparo é muito simples. Você despeja o sachê de FOS Prebiótico em 100 ml de água em temperatura ambiente, deixa o conteúdo assentar, mistura o líquido até diluir o produto e, pronto! Mas é essencial que o suplemento prebiótico seja consumido logo que aberto.

Com isso, é possível dispor de FOS Prebiótico para regular a flora intestinal, agindo em casos de constipação e diarreia. Trata-se de uma fibra dietética capaz de atuar seletivamente, alimentando apenas as bactérias “boas”. Ou seja, os FOS não são degradados pelas enzimas digestivas, nem absorvidos ou expelidos por nosso organismo.

Atenção: é importante destacar que o consumo de FOS Prebiótico deve estar associado a uma dieta balanceada e hábitos saudáveis de vida. Caso você deseje adquirir um suplemento prebiótico, os próprios fabricantes costumam alertar para a importância de acompanhamento profissional.

É fundamental receber orientação de um nutricionista ou médico para que ele possa avaliar seu estado clínico e a real necessidade de suplementação, assim como as respostas ao tratamento.

Ou seja, mesmo com a facilidade de comprar suplementos prebióticos e vários outros em lojas físicas ou pela internet, sem obrigatoriedade de prescrição, é recomendado dispor de aconselhamento adequado.

A orientação é ainda mais importante se a administração de FOS Prebiótico e vários outros suplementos for feita em grávidas, lactentes, crianças, idosos e pessoas que apresentam doenças ou alterações fisiológicas.

Atenção: este post tem objetivo de informar; não substitui avaliação nutricional ou consulta médica.

Cuide-se!

Até a próxima!

Leave a Reply